pt | en
 
 
 
 
 
 
 
 

CIRURGIA ORAL

 
 
A Cirurgia Oral é uma das áreas mais abrangentes da Medicina Dentária. Esta especialidade é dedicada à prevenção, diagnóstico e tratamento de alterações, lesões e patologias orais.

A Cirurgia Oral é responsável por todos os atos cirúrgicos relacionados com as extrações de dentes que apresentem impossibilidade de manutenção na cavidade oral, nomeadamente dentes com cáries muito extensas e não restauráveis, dentes sem suporte ósseo, dentes inclusos, entre outros.
Todas as áreas da Medicina Dentária se articulam permitindo um tratamento multidisciplinar em que implantologia, periodontologia, ortodontia e prostodontia poderão estar incluídas.

Esta especialidade pode confrontar-se com situações clínicas muito complexas. Por esta razão a equipa clínica poderá ainda incluir uma médica anestesista, permitindo que algumas intervenções sejam realizadas sob sedação, com total conforto e segurança do paciente.


TRATAMENTOS
 
 
Extrações

Simples
Pode ser necessário extrair um dente por diversas razões tais como; existência de cáries extensas e impossibilidade de restauração; perda óssea severa ou a necessidade de ganhar espaço na arcáda dentária. Estas cirurgias são habitualmente realizadas com anestesia local, dependendo do grau de complexidade das mesmas.

Complexas
Consideram-se extrações complexas sempre que para extrair um dente é necessário cortar osso ou dente. Dentes muito destruídos, que estejam anquilosados ou seja que estejam “colados” ao osso, e ainda dentes inclusos, isto é dentes que não erupcionaram, necessitam normalmente de extrações complexas.

Os dentes podem ficar inclusos por falta de espaço na arcada, por possuírem uma anatomia anómala ou estarem mal posicionados no osso. Se não forem removidos, a constante pressão causada pela tentativa de erupção, pode causar diversos problemas como a reabsorção ou cáries nos dentes vizinhos, inflamação, dor e apinhamento (mal posicionamento dos dentes). Este problema é bastante frequente nos dentes do siso, os últimos a nascerem.
Tratamentos de Infeções Faciais

Causadas por microrganismos como fungos ou bactérias, as infeções orofaciais podem afetar a cavidade oral ou áreas vizinhas (seio maxilar, glândulas salivares etc).

Embora as pequenas infeções possam ser resolvidas através da administração de antibióticos, as mais complexas exigem intervenção cirúrgica.


Remoção de Quistos e Tumores

Os quisto e tumores da região oro-facial podem ter relação com dentes infetados ou inclusos mas também podem não ter relação ou origem em nenhum dente.

Normalmente estas lesões não causam dor e são “descobertas” em radiografias ou consultas de check-up. Quando surgem devem ser removidas e enviadas para análise para identificação.
A remoção de quistos ou tumores exige intervenção cirúrgica.
 
Diagnóstico e Tratamento das Patologias das Glândulas Salivares

As glândulas salivares são responsáveis pela produção de saliva. A disfunção mais frequente tem como consequência a boca seca (xerostomia). Com consequências ao nível da mastigação, deglutição, nutrição, fala e respiração. Na sua origem podem estar infeções bacterianas ou virais, distúrbios sistémicos (síndrome de Sjögren, HIV, Lúpus, Diabetes ou Alzheimer) tumores ou interferência de determinados fármacos. A redução de produção de saliva tem ainda efeito sobre o risco de desenvolver cáries, uma vez que esta actua como “protectora dos dentes”.Para determinar a causa das patologias das glândulas salivares, os meios de diagnóstico mais utilizados são o Rx, a tomografia computorizada e a avaliação do fluxo salivar.
Tratamento da Disfunção da Articulação Temporo-Mandibular

Localizada junto ao ouvido, a articulação temporo-mandibular (ATM) estabelece a união da mandíbula com o crânio. As disfunções desta articulação poderão estar relacionadas com problemas de má relação dentária que provocam desequilíbrio nas articulações, músculos e ligamentos. Os pacientes com esta disfunção, queixam-se habitualmente dos seguintes sintomas: dores de cabeça, ouvidos, olhos, face e pescoço, assim como, dificuldades de mastigação, zumbidos, enjoos e tonturas. O tratamento da disfunção da ATM passa pela eliminação dos fatores causais, pelo que é frequente a necessidade de articulação com o tratamento ortodôntico, com intervenções de implantologia, destinadas repor dentes em falta, ou com cirurgia Ortognática.
Tração de dentes inclusos

Por vezes os dentes não erupcionam por falta de espaço na arcada ficando impactados no osso. Nesses casos, e após criar espaço na arcada com a utilização de aparelho ortodôntico, pode ser necessário expô-los e puxá-los para que se venham a posicionar corretamente e junto dos outros. Entende-se por tração ortodôntica sempre que é necessário esse procedimento cirúrgico de exposição de um dente para integrar no aparelho ortodôntico.
Este fenómeno ocorre frequentemente com caninos superiores devido ao facto de serem os últimos a erupcionar na região anterior da maxila.
Enxertos ósseos

Situações clinicas complexas, decorrentes de infeções ou acidentes com perda importante de estrutura óssea poderão necessitar de cirurgia de enxerto ósseo.
Estas intervenções são realizadas de forma integrada com outras especialidades, nomeadamente cirurgia maxilo-facial ou geral para a eventual colheita de osso a enxertar.
Na MALO CLINIC procuramos sempre evitar utilizar enxertos para reabilitação, uma vez que dispomos de uma grande variedade de implantes e outras soluções em caso de problemas ou ausências de dentes. Contudo a necessidade de presença de osso não se prende apenas com a colocação de implantes. Grandes defeitos ósseos, comunicações oro-antrais, acidentes com fratura da mandíbula são exemplos de situações clinicas em que estes procedimentos podem ser usados.


SABIA QUE...


CASOS CLÍNICOS


EQUIPA